TRF1 CONCEDE ALVARÁ DE SOLTURA EM FAVOR DE NAIR BLAIR

TRF1 CONCEDE ALVARÁ DE SOLTURA EM FAVOR DE NAIR BLAIR

Dezoito dias após ter sido detida, a empresária Nair Queiroz Blair deixou a prisão na noite desta quarta-feira (20). O alvará de soltura foi concedido pelo desembargador Ney Belo, do Tribunal Regional Federal (TRF), da primeira região de Brasília. A empresária é suspeita de envolvimento em um esquema de compra de votos durante as eleições de 2014. No entanto, ela foi presa por desvio de verbas por meio de peculato e falsidade ideológica, crimes cometidos quando ela estava à frente da gestão Agência Nacional de Gestão de Recursos para a Hiléia Amazônica (Angrhamazonica ou Angrham), entre 2005 e 2008.

De acordo com a advogada Denise Aufiero, o pedido de revogação da prisão foi aceito pelo TRF. “Não havia motivos para mantê-la no cárcere, uma vez que ela não vai se eximir. Não vai sair da responsabilidade de responder o processo”, afirmou a advogada.

Denise explicou que a equipe de defesa de Nair irá dar continuidade e acompanhar a instrução criminal. “Vai iniciar a instrução criminal. O processo vai dar início com a denúncia, com toda aquela parte jurídica legal. Estávamos em fase do inquérito administrativo, agora vai para a parte inicial. Nair irá aguardar a instrução, o processo em liberdade”, explicou Denise.

Nair estava presa no Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) no Km 8 da BR-174. Ela foi detida no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, localizado na Zona Oeste de Manaus, na tarde do dia 2 de janeiro. A empresária desembarcou de um voo internacional e foi encaminhada para a Superintendência da Polícia Federal (PF)
Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) confirmou a soltura de Nair, na noite desta quarta-feira (20). Por volta das 19h, a direção da unidade cumpriu a decisão do desembargador Ney Belo, do Tribunal Regional Federal da 1a Região, que concedeu habeas corpus. A decisão foi cumprida na presença de um oficial de justiça.

Ultimas postagens

A Sétima Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, referendando decisão do Juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública, nos autos de mandado…

O Ministro Napoleão Nunes Maia, em decisão monocrática, preservou a competência do Juízo da Quarta Vara Cível e de Acidentes de Trabalho da Comarca de…

  EMENTA ADMINISTRATIVO. AGRAVO DE INSTRUMENTO. AÇÃO ORDINÁRIA.  PROCEDIMENTO DE LICITAÇÃO. CONTRATO ADMINISTRATIVO. RESCISÃO CONTRATUAL. DESCONSTITUIÇÃO. Hipótese em que há fortes elementos a indicar que…

  Justiça de São Paulo autoriza cartórios a protestar contrato de honorários  31 de outubro de 2017, 15h11 Seguindo o previsto no novo Código de…

  A SÉTIMA TURMA DO TRF1, COM QUÓRUM AMPLIADO, CONFIRMA QUE A REDE TV NÃO É SUCESSORA TRIBUTÁRIA DA ANTIGA TV MANCHETE Concluindo o julgamento…

  Cobrança do adicional de 1% da Cofins-Importação deve respeitar anterioridade nonagesimal Decisão é do TRF da 4ª região. segunda-feira, 30 de outubro de 2017…