TRF1 NEGA SUSPENSÃO DE EXECUÇÃO QUE BENEFICIA…

 

EM AÇÃO RESCISÓRIA, TRF1 NEGA SUSPENSÃO DE EXECUÇÃO QUE BENEFICIA MILITARES DO ANTIGO DF

 

Depois de percorrer longo caminho, os policiais militares do antigo Distrito Federal obtiveram uma vitória definitiva na Justiça Federal, já que o acórdão do TRF-1ª Região, que lhes atribuiu o direito de perceber a VPE, com base na Lei 10.486/2002, transitara em julgado, possibilitando, assim, que executassem o título judicial. A União, no entanto, ajuizou ação rescisória perante o mesmo Tribunal, a fim de rescindir o acórdão, por entender que a decisão viola a Súmula nº 37 do STF. E, ainda, requereu que a execução fosse suspensa liminarmente.

Inicialmente, o relator da AR concedeu a liminar, mas, posteriormente, reviu sua decisão para indeferir a suspensão da execução. A União, então, agravou regimentalmente, levando o caso para o plenário da Primeira Seção do TRF-1ª Região, que, à unanimidade e acompanhando o voto do Juiz César Cintra Fonseca, negou provimento ao recurso, em sessão realizada em 20 de junho próximo passado.

A defesa dos policiais militares e seus pensionistas, patrocinada pelo escritório Silveira Ribeiro Advogados, alegou que a interpretação da questão foi pacificada por decisão da colenda Terceira Seção do Superior Tribunal de Justiça, prolatada em julgamento de Embargos de Divergência, não cabendo, mais, a discussão da matéria, já coberta pelo manto da coisa julgada.

PROCESSO RELACIONADO: AR Nº 0067328-20.2016.4.01.0000/DF

 

Ultimas postagens

A Sétima Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, referendando decisão do Juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública, nos autos de mandado…

O Ministro Napoleão Nunes Maia, em decisão monocrática, preservou a competência do Juízo da Quarta Vara Cível e de Acidentes de Trabalho da Comarca de…

  EMENTA ADMINISTRATIVO. AGRAVO DE INSTRUMENTO. AÇÃO ORDINÁRIA.  PROCEDIMENTO DE LICITAÇÃO. CONTRATO ADMINISTRATIVO. RESCISÃO CONTRATUAL. DESCONSTITUIÇÃO. Hipótese em que há fortes elementos a indicar que…

  Justiça de São Paulo autoriza cartórios a protestar contrato de honorários  31 de outubro de 2017, 15h11 Seguindo o previsto no novo Código de…

  A SÉTIMA TURMA DO TRF1, COM QUÓRUM AMPLIADO, CONFIRMA QUE A REDE TV NÃO É SUCESSORA TRIBUTÁRIA DA ANTIGA TV MANCHETE Concluindo o julgamento…

  Cobrança do adicional de 1% da Cofins-Importação deve respeitar anterioridade nonagesimal Decisão é do TRF da 4ª região. segunda-feira, 30 de outubro de 2017…